terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

5° Capitulo

Por: Lívia Stramare

Seu tio Nick sempre fora muito bondoso com ela. Contudo, achava um tanto assustador. Sob muitos aspectos, era tão diferente de seu pai que lhe parecia esquisito pensar que fossem irmãos.
Quando ainda era menina, ficara sabendo que seu pai escolhera o caminho da Igreja, sendo pastor, e com isso contrariara o próprio pai e o irmão mais velho. Ele ouvira o chamado de Deus, para adorá-lo e servir ao próximo. Não houve argumento que o convencesse a abraçar a carreira militar, conforme a tradição da família.
O pastor casara-se com a filha de um proprietário rural, que era tão desinteressada pelo mundo quanto ele. Todavia, amavam-se tanto que em qualquer lugar em que vivessem pareciam envolvidos numa aura de felicidade que dinheiro algum poderia proporcionar.
Após terem morrido, Demetria compreendeu que aquele mundo especial, que lhe parecera sempre cheio de sol, música e alegria, ia desaparecer para sempre.
Levara algum tempo para adaptar-se à vida no colégio. Nem mesmo as freiras compreendiam o quanto sofria, ou a saudade que tinha de um lar que não mais existia, e dos pais, agora juntos num lugar para ela inatingível.
As freiras a achavam muito sossegada. Com o passar do tempo, a sua meiguice e compreensão dos problemas alheios a tornaram diferente das outras meninas. Aos poucos, aquelas que de início mal a notavam não só perceberam a sua presença, como quão importante era para elas pessoalmente. Instintivamente, passaram a procurá-la.
Ouvia os problemas das companheiras, bem como os das outras pessoas do convento. Isto incluía as professoras visitantes, as empregadas italianas sempre dispostas a conversar, e até mesmo as freiras.
Possuía uma grande capacidade para ouvir. Embora falasse pouco, as pessoas que a ela se dirigiam tinham a impressão de que haviam encontrado a solução para seus problemas.
Isso talvez ocorresse por fazê-las encontrar em si mesmas as respostas de que precisavam. Uma qualidade ou virtude que acabou sendo elogiada pela própria madre superiora.
— Foi uma felicidade tê-la aqui conosco — disse a Demetria ao despedir-se. — Você evoluiu muito, e espero poder creditar a nosso favor uma boa parte desse desenvolvimento. Mas julgo que na realidade, minha filha, você tem algo que Deus nos dá ao nascer. Tanto podemos desenvolvê-lo como ignorar sua existência.
Demi sorriu.
— Espero, reverenda madre, que eu o tenha desenvolvido.
— Você o desenvolveu, e é alguma coisa que lhe será proveitosa agora que vai enfrentar o mundo. Consta-me que ainda não tem certeza do lugar onde viverá, e de quem se encarregará de você.
— Eu… estou certa de que meu tio encontrará… alguém — disse ela, hesitando.
A madre sentiu que Demi estava apreensiva.
— Deve acreditar em Deus. Lembre-se, filha, de usar sempre seu instinto. Ele lhe dirá o que está certo ou errado. Este é o modo pelo qual Deus fala conosco, principalmente se precisamos de Sua orientação.
— Lembrar-me-ei, reverenda madre.
Pensara intensamente nisso durante a longa viagem pela França.
Sabia que seu instinto teria que ajudá-la de muitos modos, os quais, talvez, a freira não tivesse considerado.
Nos livros que lera no convento não constava nada do que pudesse informá-la sobre o mundo social. Sabia que seus tios freqüentavam esse mundo, e Demetria intimamente estava convencida de que sua tia não desejaria que ela dele participasse.
Seu pai costumava caçoar do lugar importante que o irmão ocupava na sociedade. Zombava também do modo pelo qual ele se associava à realeza, como se a ela tivesse direito. Ouvira-o dizer muitas vezes: “Como eu teria detestado tudo aquilo!”
— Mas papai, deve ser muito interessante — aventurara-se ela a replicar.
— Depende do que você quer da vida. A ostentação superficial das solenidades e das circunstâncias certamente não é para mim.Contudo, se torna meu irmão Nick feliz, serei o último a dizer-lhe que deveria ir procurar qualquer coisa diferente.
— Deve ser fascinante conhecer o rei e a bela rainha Alexandra — argumentava Demi.
— Sim, existe realmente muito esplendor em torno deles — admitiu o pai. — Ao mesmo tempo, são apenas pessoas, gente igual ao velho casal Briggs, que estou indo agora visitar, porque eles comemorarão as bodas de ouro na próxima semana.
Sorrira antes de acrescentar:
— Não será festejada com muito ouro, mas tenho certeza de que sua mãe já está se preparando para fazer um bolo.
— É evidente, querido — dissera a mãe. — Já o idealizei! Comprei até umas velinhas douradas para colocar por cima dele!
— Meu bem, você pensa em tudo — dissera o pai, beijando-a antes de sair.
“Como eram felizes…”, lembrou-se Demetria. Perguntou à si mesma se o tio Nick poderia ser feliz com tia Selena. Fora ela quem dissera: “graças a Deus não tenho filhos”.
Seus pais sempre lastimaram ter apenas uma filha. Ouvira sua mãe dizer:
— Gostaria de ter tido uma dúzia de filhos! Seu pai teria ficado tão feliz! Deus, porém, tinha outras idéias, e depois que você nasceu, os médicos disseram que eu não podia ter mais nenhum.
— De que modo, querida mamãe, posso substituir os filhos que você não teve? — perguntara-lhe Demi.
Sua mãe abraçou-a, dizendo:
— Já fez isso, meu bem. Seu pai e eu estamos felizes por termos uma filha adorável e linda!
— Nunca serei tão bonita quanto você, mamãe!
— É agradável ser bonita — observou ela. — Porém, é maravilhoso, quando o homem que amamos nos julga uma beleza.
— É isso que papai pensa.
— Eu sei. Por isso mesmo não sou apenas a mais venturosa das mulheres, mas também a mais feliz.
“É isso o que quero em minha vida”, pensava Demi enquanto o trem a levava para Londres. “Ser tão feliz quanto o foram papai e mamãe.”
Demi ainda continuava imersa em seus pensamentos quando o trem estacionou na plataforma da estação Vitória. Avistou seu tio Nick incrivelmente elegante, de cartola, com um cravo na lapela, esperando-a ao lado de outro cavalheiro.

*******************
Bom o começo de uma nova aventura esta evidente. 

Querem saber como ela será? Querem saber como é ela?

Espero que sim! *-*
Somente com II coment´s postarei o próximo cp.

Ailinha: OO BEST que eu amo MUITOOO OBRIGADA! ###POSTANDO### Te amhu!

Bom é isso!

COMENTEM  M_U_I_T_O!!! *-*

Beijins de estrelas!

Amhu vcs!!!
Ass:Lívia.

2 pensamentos:

Tay. on 23 de fevereiro de 2011 18:19 disse...

BEST FOREVER... esse Blog é SUPER!
ele é tipo, MUITO PERFEITO!!
PARABÉNS...
ele é lindo...
posta please..
to mega curiosa...

beijos Ti amu

Paola on 23 de fevereiro de 2011 19:56 disse...

onnt' tah completamentee perfeitooo!!!
lindoooooooo, ameiiii!!!
tooo superrr curiosaaaaa, AHHHHHH

posta maissss divah <3
beijos e borboletasss

 

Meu primeiro e único amor. Copyright © 2011 Design by Ipietoon Blogger Template | web hosting