quarta-feira, 9 de março de 2011

30° Capitulo

Por: Lívia Stramare
Sentada numa espreguiçadeira, Demi estava se perguntando qual dos livros que a sra. Miley colocara à sua frente seria o mais interessante.
Seu tio já a avisara de que partiriam na quinta-feira. Achava-se um tanto infantil, ao pensar que sentia deixar Mere, com todas as suas belezas. Ficaria ainda mais triste se deixasse também um romance inacabado.
Reclinada nas almofadas, com as pernas resguardadas por uma coberta de cetim e rendas, olhou à volta do quarto como se quisesse guardá-lo na memória.
Os cupidos nos quadros de Boucher, pendurados nas paredes, reproduziam os pintados no teto, os belos móveis em estilo francês, o azul-turqueza das cortinas e o tecido das cadeiras Luís XIV estavam fotografados em sua mente.
Entretanto, a dor que sentia em seu peito era mais pungente do que a da têmpora, por ter que deixar tudo aquilo. Contudo, se fosse honesta, reconheceria que era a lembrança do dono de Mere que a perseguiria pelo resto de sua vida, não só em seu espírito mas em seu coração.
Ao recobrar os sentidos, não conseguira reprimir um sentimento de exultação, ao pensar que salvara sua vida. Embora sua cabeça doesse insuportavelmente, e se sentisse enjoada e traumatizada pelo que ocorrera, nada daquilo importava, ante sua felicidade por ter Joseph escapado ileso. Tinha sido capaz de evitar que a condessa o ferisse, conforme tentara.
Demi se perguntava como uma mulher podia ser tão cruel, tão perversa! Por amar o duque, ela sabia que queria protegê-lo não só de qualquer coisa que o magoasse espiritualmente, mas também da infelicidade e desilusão.
Caso o duque amasse Ashley Hellingford, deveria ter ficado horrorizado ao vê-la comportar-se daquela maneira. Contudo, pelo que ela dissera, Joseph já não mais a amava, e certamente sentir-se-ia humilhado ao descobrir que desperdiçara seu amor com alguém que era incapaz de controlar-se.
Sentia-se feliz por tê-lo salvo, mas temia não poder tornar a fazê-lo, caso ela tentasse novamente. Pensou então que estava sendo ridícula. Jamais poderia significar alguma coisa na vida do duque. Devia considerar-se feliz por ter-lhe provado seu amor, de um modo que nunca sonhara. Fora uma sorte ter estado no momento exato e no lugar certo, quando aquilo ocorrera. Se estivesse um pouco mais longe, e por mais que pudesse ter pressentido o perigo, o que quer que fizesse para desviar a bala seria tarde demais.
Quando o médico saíra na noite anterior, seu tio dissera-lhe o quanto estava orgulhoso dela. Teve vontade de perguntar-lhe se o duque falara alguma coisa. Porém achara difícil fazer essa pergunta. Tendo ele se retirado, ficara sozinha com seus pensamentos.
Agora, se abrisse um daqueles livros, sabia que não conseguiria concentrar-se em suas páginas. Nelas veria apenas o rosto do duque.
Porque aquilo a fizesse feliz, e por ser muito mais emocionante do que qualquer coisa que lesse, inclinou-se ainda mais para trás e começou a pensar no que ocorrera desde o primeiro momento em que o conhecera.
As lembranças iam se sucedendo em sua mente… o passeio a cavalo, o desjejum a sós na casa da fazenda… Pensou que era isso que gostaria de tornar a fazer. Contudo, estava querendo o impossível, pois ao sair de Mere, o duque se tornaria tão inacessível quanto a lua. Cerrou os olhos, como se com isso minimizasse a dor que sentiria ao despedir-se dele.
Ouviu então uma batida na porta. Antes que pudesse dizer alguma coisa, ela se abriu e Joseph entrou no quarto.
Porque estivera pensando nele tão intensamente, por um momento foi difícil compreender que ele era real e não fruto de sua imaginação. Mas ao vê-lo dirigir-se para ela, sentiu-se corar, por causa da expressão de seu olhar, porque seus cabelos estavam soltos sobre os ombros, e por estar só de penhoar por baixo da coberta de cetim e rendas…
Ao vê-la assim, e principalmente por causa dos cabelos soltos, o duque achou-a muito jovem e ao mesmo tempo, quase etérea. Não lhe parecia humana, mas sim uma daquelas estátuas clássicas que imaginara ver quando a encontrara de pé na escuridão do telhado. Aproximou-se ainda mais, e estendeu-lhe a mão.
— Como está, Demetria? Seu tio me disse que se sentia bastante disposta para ver-me.
— Estou… estou muito bem — respondeu Demi numa voz que não parecia a sua. — Amanhã já poderei levantar-me.
Demi estendeu-lhe a mão, que ele pegou entre as suas. Surpreendeu-se ao vê-lo sentar na beirada da espreguiçadeira, e não numa cadeira como teria esperado.
— Você está realmente encantadora. Sempre imaginei que seus cabelos fossem exatamente como estou vendo agora.
O rosto de Demi tornou a enrubescer. Como não pudesse manter os olhos abertos, baixou-os, e suas pestanas pretas contrastavam com a tonalidade de sua tez.
Ele continuou segurando sua mão, e disse após um momento:
— Antes de falarmos tudo quanto temos a nos dizer, quero agradecer-lhe por ter salvo minha vida. — Sentiu os dedos dela estremecerem e compreendeu que só ao pensar, sentira medo do que poderia ter-lhe acontecido.
E então, continuou:
— Quero que tente esquecer-se de tudo. Foi revoltante e desagradável. Não é o tipo de coisa que desejo ver você relembrar.
— Tive medo… por sua causa.
— Eu sei, e provou ser muito esperta, ou talvez uma sensitiva, para prever o que ia acontecer. Contudo, estou salvo, portanto não pense mais nisso — seu tom de voz era autoritário.
— Tentarei… — disse Demi.
— Existem muitas outras coisas para pensar — disse ele, sorrindo. — Mas primeiro quero transmitir-lhe um recado da marquesa. Nina gostaria que você permanecesse com ela, não como uma visita, mas por um tempo indeterminado.
Surpresa, Demi olhou para ele.
— Está dizendo… que poderia morar com a marquesa?
— É o que ela gostaria, mas creio que seu tio tem outros planos para você.
— Sim, tio Nick falou-me acerca de alguma coisa que me fez pensar… bem, talvez ele me queira… Mas tenho um pressentimento de que tia Selena não me aceitará.
— Pelo menos tem duas propostas para considerar. Eu tenho uma terceira.

***************

HAAAAA HAAAA E HAAAAA!!!

Aii aii vem .... huuu que emoção! *-* E bom só mais 3 cp´s :(.

SEJA ETERNO ENQUANTO DURE! *-* Haha!

Respostinhas:

Heloisa:HAAAA prontto BEST tá mais que postado! *-* E agradeço seu apoio viu...você é fiel, fofa e é você, qual é, oq pode ser melhor? HAHA! OBG! Beijins de estrelas.

Paola: HAA nooop! Ja disse e repito: não vivo sem você DIVAH! Haha soo uma DUMAL# com prgulho ein... HAA eu tbm te amhu até a morte BEST DIVA PERFA E FOFA! Haha eu adoro ficarr postando que nem loukaa! *-* HAHA Brigadin´s! *-* Beijins de estrelas. 

Bom desejo no minino 3 coment´s pro próximo cp... haaa só mais 3.

Beijins de esterelas.

Amhu vocês.

Ass:Lívia

6 pensamentos:

Heloisa_jemi.Nelena on 9 de março de 2011 15:16 disse...

HEEEEEEE que bom que vc postou estava anciosa pra por isso o fim de semana todoooooo kk
não demora pra postar bjosssss

Heloisa_jemi.Nelena on 9 de março de 2011 15:16 disse...

eu amo mto sua historia e uma pena que está acabando mais foi uma das melhores que liii concerteza
bjosssss

Heloisa_jemi.Nelena on 9 de março de 2011 15:18 disse...

vc e mto fofa mto obrigada amigaaa
eu sou fiel porque vc merece que eu seja assim e vou continuar sendo
amo vc besttttt

Heloisa_jemi.Nelena on 9 de março de 2011 15:19 disse...

vc e a melhorrrrr e não me mata de curiosidade por favor bjossssss

Heloisa_jemi.Nelena on 9 de março de 2011 15:19 disse...

nem me dei conta disso eu fui a PRIMEIRA a comentar isso e maravilhosoooooooooo amo vc best
bjosssssssss

Heloisa_jemi.Nelena on 9 de março de 2011 15:20 disse...

nem me dei conta disso eu fui a PRIMEIRA a comentar isso e maravilhosoooooooooo amo vc best
bjosssssssss

 

Meu primeiro e único amor. Copyright © 2011 Design by Ipietoon Blogger Template | web hosting